Violência contra Crianças e Adolescentes

Versão para impressão

Cerca de 90% dos casos de Violência contra Crianças e Adolescentes acontecem dentro da própria casa e/ou família da vítima. Os agressores mais comuns são, por ordem de frequência: mãe, pai, padrasto, tio(a), irmão(ã), madrasta, outros familiares.

A forma mais comum é a Negligência (omissão de cuidados e abandono), seguida da Violência Física, da Violência Psicológica e da Violência Sexual (ver detalhes em cada um desses itens), ocorrendo também Violência Econômica (p.ex., no caso de responsável que se apossa de pensão destinada a criança ou adolescente).

É bastante frequente a Violência Doméstica física e psicológica contra crianças e adolescentes LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e trans), bem como a Negligência e Abandono no forma de expulsão de casa; sobre isso, ver também Homofobia.

A Violência Sexual ocorre com frequência preocupante, mesmo se não é a mais frequente. Sobre isso, ver Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

Fora do espaço doméstico, a violação dos direitos de crianças e adolescentes pode acontecer em qualquer outro lugar: escolas, instituições de abrigamento e internação (ver Violência Institucional), ruas e praças, casas de conhecidos ou desconhecidos, locais de trabalho, etc.

É importante consultar também Trabalho Infantil e Tráfico de Crianças e Adolescentes.

Faça uma Denúncia

UFES X SEADH

.